Filipe Brito

Visual Designer & Post Producer

Sapatos, ténis ou chinelos?

Ténis.

O que andas a fazer?

A lutar contra o tempo e a tentar fazer tudo que amo na vida.

Por onde andaram os teus sapatos?

Além de serem um “clássico” de 1976 (data do meu nascimento), calcaram umas dezenas de palcos por todo o país na tour dos meus últimos dois discos e trouxeram-me no primeiro dia de trabalho, à comOn. O que os torna muito especiais.

E para onde gostavas que te levassem?

Eu é que os levo! São os meus gravadores de “viagem”. Como gosto de desafios não me limito a definir ou estreitar caminhos. A vida é feita de surpresas e eu gosto disso.

Já calçaste os sapatos de alguém?

Já, sim. Os sapatos dos meu avô, quando fiz a peça de teatro “Crónica dos Bons Malandros” do Mário Zambujal.

Gostavas de calçar os sapatos de quem?

De ninguém. O meu numero é curto e gosto de dar os passos, sem me saltarem os sapatos do pés.

Como é que vão ser os sapatos dos teus netos?

Estou-me a esforçar para que sejam parecidos/melhores que os meus.